.

.

.

.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A FRESCURA





Existem pessoas
que confundem frescor com frescura. Frescor é isto aqui ao lado.Isto é frescor.





Outro exemplo de puro frescor.





Frescura é uma coisa completamente diferente . Quem é fresco ou fresca acredita piamente no seu papel cultural; não só acredita como acha que ele ou ela é o próprio papel cultural que representa. Em outras palavras o fresco é ator o tempo todo, até quando caga. É impressionante! As mulheres são sobejamente mais frescas que os homens justamente porque acreditam muito mais nos seus papéis culturais, com os joguinhos inexoráveis e intrínsecos. Os homens têm mais humor. Com alguma frequência, riem dos seus papéis culturais. O papel cultural da mulher às vezes lhe é muito conveniente. Outras vezes é o homem que usufrui do seu papel na sociedade. Então temos dois seres que representam papeis culturais muitíssimo diferentes e que são instados pela mesma cultura, que inventou esta merda de papeis culturais, a se casar . E mais, a ocuparem o mesmo espaço físico. Por isso, o casamento é uma autêntica aberração. Vou parar por aqui para não encher o vosso fragilizado saco. Só uma coisa. Descubra a sua ESSÊNCIA no sentido existencialista da palavra e aposte nas suas convicções, na sua visão de mundo, nas suas percepções, na sua intuição e seja feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário