.

.

.

.

sábado, 25 de maio de 2013

A LINGUAGEM DA GUERRA

"Militat omnis amans et habet sua castra Cupido."
Todo namorado é um soldado e Cupido tem seus acampamentos. [Ovídeo, Amores 1.9.1]
Se o homem e a mulher foram feitos um para o outro como se diz por aí, por que um tem que CONQUISTAR o outro? CONQUISTAR significa submeter pela força das armas. E neste setor, as armas são por vezes hediondas. Dizem que "no amor e na guerra vale tudo". Esse amor é tão reprovável quanto a guerra. A despeito de tudo o que vigora e toda a propaganda tendenciosa, acho que homens e mulheres não se gostam como Seres. Sem a partipação obrigatória da armadilha viscosa dos hormônios, não haveria nenhuma forma de relação entre eles. Homens se relacionariam com homens e mulheres com mulheres se ambos fossem desprovidos de hormônios. Como podemos guindar à categoria de Amor um reação química tão banal e babaca? Tenho certeza que o mundo está de sacanagem comigo e com vocês.
Como podemos chegar a uma relação amorosa verdadeira, compromissada e profunda se tudo começa por uma injunção psico-fisiológia-cultural. É mais ou menos assim: o meu sexo te quer, mas o meu ser não tem porra nenhuma a ver com você. Essa dependência hormonal gera Seres adoentados que querem ser mais autônomos e não conseguem. E quando a compulsividade diminui um pouco, o cara toma quilos de Viagra. É mole! É um Ero-dependente de merda. Tem que transar, tem que gozar e outras coisas mais.
E as pessoas ainda usam a palavra LIBERDADE ao dizerem em alto e bom tom : "Eu tenho liberdade sexual." LIBERDADE? Isto é liberdade? É uma merda ser obrigado a trepar pela tirania química. E todos estamos aqui  neste Planeta MA-RA-VI-LHO-SO por causa desse fascismo das entranhas. Quem foi que nos obrigou e nos obriga a trepar? Quem disser:" Mas que obrigação boa!", não entendeu o espírito desta postagem. Trepada compulsória, sexo inelutável é liberdade? Liberdade é o escambau, escravos da testosterona!

Nenhum comentário:

Postar um comentário