.

.

.

.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

O AMOR - DROGA LÍCITA

O amor é uma DROGA LÍCITA. Como todas as outras drogas lícitas o amor é estimulado por toda a sorte de propagandas. O amor resolve, o amor relaxa , o amor cura, o amor transforma, o amor traz a inexorável felicidade. 
O amor pode ser destilado, fermentado, diluído, com gás, sem gás, natural, em lata, light, com açucar, com flocos, sem colesterol, enfim, não falta amor. Nunca falta amor nas prateleiras dos Shoppings Love S.A. O amor altera substancialmente a realidade. Por isso o amor é necessário. A realidade é insuportável. O planeta é belo, mas o mundo é horrível. O amor embeleza o mundo. Temos que emperequetar o mundo. Grave e suspeito é achar que o mundo é bonito e bom por si só. 
Os alcoólatras, os tabagistas, os consumistas, os obesos mórbidos e os amorólatras são manisfestações sutis do mesmo fenômeno. O amor vicia e por isso pode ser deletério. É conhecidíssima a Síndrome de Abstinência que assola todos quantos já levaram o não menos conhecido "PÉ NA BUNDA." Como viver sem Brahma , sem Chopp, sem Hollywood e sem Amor? Ao contrário do álcool e do tabaco , o amor não tem forma; não é concreto. O amor é produzido nas destilarias CULTURAIS das sociedades e consumido pelos cérebros pouco heróicos da maioria. AMAR É SONHAR QUE SE GOSTA DE ALGUÉM SEM CONDIÇÕES E SEM LIMITES. O Ministério do BOM SENSO adverte, ame e sonhe com parcimônia ou sonhe e ame com parcimônia, VOCÊ DECIDE. E para os que não amam mais, sempre existe a sobriedade de outros sentimentos .

* Por amor, entendo essa confusão de emoções e pirações (graves) que gira em torno do que chamam de afeto ou afetividade e do sexo.
* Amor mesmo é o que eu sinto pelo meu pai. 

2 comentários:

  1. Que bom ver você falando de amor. Adorei!
    Será que está apaixonado?
    Beijos,
    Ana Cabral

    ResponderExcluir
  2. Ah! Amor... Palavra flexível... Tão confundida...

    ResponderExcluir