.

.

.

.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

SOB NOSSA DIREÇÃO

Não há, nem pode haver  felicidade no seio do processo civilizatório. É uma máquina de fazer doidos. Todos têm problemas mentais, sem exceção. O papel da psiquiatria tem sido de classificá-los de maneira confusa e tentar tratá-los de forma incompetente. E não se trata mais de uma simples neurose inócua. A saúde mental tem piorado considerávelmente. Senão, faça pesquisas sobre as novas patologias Existem as moléstias de praxe acrescidas das enfermidades do neoliberalismo. É assustador. Atualmente,  acredita-se muito no poder dos fármacos ao contrário da correntes terapêuticas dos anos 80/90 que preconizavam a psicoterapia e a psicanálise.
Se você quer ser feliz, desprograme-se. Não é tarefa fácil, mas é possível. É quase impossível uma desprogramação química, entretanto uma desprogramação cultural me parece perfeitamente viável. Descarte esse rol interminável de mitos que minam o nosso direito à felicidade. Não queira mais encontrar ninguém; ENCONTRE-SE. Não aposte nenhuma ficha nos outros. Conviva com eles mas seja o grande artífice do seu bem-estar pessoal. Aprenda a ficar de pé com as suas próprias pernas. Aprenda a suportar o peso da Condição Humana sózinho. Jogue fora todas as muletas. As muletas não podem mais fazer parte do seu Ser. Pessoa feliz é pessoa sem muletas. Nomeie-se  NOVO DIRETOR da sua valiosa existência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário