.

.

.

.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

A CASA DOS MUITOS INFELIZES


EXERCÍCIO DE UTOPIA Nº 1

A infelicidade é bípede, bímana e racional. Vejo muita infelicidade à minha volta. Isso me preocupa, na medida em que sou vítima da fúria dos Infelizes. Não entre no campo de visão de um MUITO INFELIZ. Ele descarregará sobre você toda a problemática da Condição Humana, toda a Raiva por não saber lidar com Angústia inerente, todo Ódio por se sentir tão mal com ele mesmo. É um Tsunami em carne e osso. Espero que nunca tenha o azar de servir de Bode Expiatório para essas pobres criaturas das quais me compadeço por serem Incompetentes Existenciais Recalcitrantes.
Infelizmente para os mais Felizes, os MUITO INFELIZES não têm etiquetas na Testa. Como saber se o cara é tão Infeliz? Sonho no aprimoramento das Técnicas de diagnóstico da Psiquiatria  e da Psicologia para identificar sem grande margem de erro esses Infelizes Profissionais.
 
Você pode ser agredido Físicamente por esses indivíduos que encarnam com perfeição a expressão, ALMA PENADA. São umas almas perdidas que apesar dos anos, ainda não sabem absolutamente NADA sobre si próprios. Seguem o percurso do Bando sem questionar e se encontram em encruzilhadas insolúveis. Voltaram-se para as coisas exteriores e estão na mais pastosa merda.
Num sonho veloz, num devaneio fugaz, pensei na possibilidade de se enclausurar esses INFELIZES quase criminais. Iriam todos para a CASA DOS MUITO INFELIZES ou CASAS DA FELICIDADE, para aprender a conviver melhor com eles mesmos. Não sei quais seriam os Recursos. Não sei como isso poderia ser feito com eficácia. Até pode ser uma ideia infeliz para os MUITO INFELIZES. Mas só quem já foi vítima da sanha, da ira, do destempêro e da insânia de um GRANDE INFELIZ  pode me entender. 
P.S.- Há algumas pistas para detectar o INFELIZ de carteirinha. Depois falo sobre isso.

2 comentários:

  1. Esteves,
    Quintana se refere aos óculos na ponta do nariz, que alguns procuram e nem sabem estar com eles. Em pior situação, ainda, vejo os que nem sabem que usam e os que precisam usar óculos e não os buscam.
    Delia

    ResponderExcluir
  2. Esteves, sempre tao cirúrgico nas palavras. Parabéns! Beijos. Tatiana.

    ResponderExcluir