.

.

.

.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

A CURA GAY

Uma coisa é não aceitar a própria Homossexualidade, isto chama-se Homofobia Internalizada. Há tratamento psicológico para este quadro. Outra coisa é tentar "Curar" o "Distúrbio do Homossexualismo", tentar mudar a Orientação Sexual da pessoa. Esta pretensa cura pode levar à depressão, dificuldades de relacionamento, um enorme sentimento de culpa e até ao Suicídio.
Onde se situa a onda da Cura Gay? Com certeza na Maluquice de achar que se pode modificar a orientação sexual do indivíduo.
Mas a maior babaquice é falar-se de "Opção Sexual". Esta expressão idiota me revolta na medida em que não existe opção sexual nenhuma. A pessoa não opta.(Optar é escolher entre várias coisas aquela que se pode ou deseja ter ou decidir-se por uma coisa. Ex:"Não sei se opto por ir ao baile ou ir a festa.") A pessoa se descobre Homo, Hetero, Bi, Pan, etc. Trata-se de Orientação Sexual e não de Opção.
Insinuar ou afirmar que se pode modificar a Orientação Sexual  de um ser humano é de uma Violência sem precedentes.
E por que motivo todos têm que gozar pelas mesmas vias? Existem tantas outras coisas mais relevantes pra discutir! Por que será que o pessoal empaca na temática do sexo como mulas teimosas.
O Orgasmo é uma simples descarga de um Hormônio chamado Ocitocina. É apenas uma descarga hormonal. Por que cargas d'água se hiper-valoriza a Ocitocina? Não precisam responder. Eu até sei.
Todo mundo muito IGUAL é muito mais fácil de controlar. Todo o mundo Hetero, dá uma falsa ideia de harmonia, de organização, de concórdia, de entendimento e consonância. A Diversidade assusta. Os que querem ter Poder Político (No sentido de Heidegger) se cagam de medo com o Múltiplo, com o Plural, com o Poli.
Aproveitem e leiam o artigo abaixo. Vamos pedir a esse pessoal da Cura Gay para Curar também as Girafas homossexuais, os Elefantes bichas, os Hipopótamos viados, os Rinocerontes boiolas, os Gorilas baitolas, etc, etc.

OS GAYS NÃO-HUMANOS

O comportamento homossexual em animais refere-se à evidência documentada de comportamento homossexual e bissexual em várias espécies não-humanas. Tais comportamentos incluem sexo, namoro, afeição e parentalidade entre animais do mesmo sexo. Uma pesquisa de 1999, feita pelo pesquisador Bruce Bagemihl, mostra que o comportamento homossexual já foi observado em cerca de 1.500 espécies animais, variando de primatas a vermes intestinais, e é bem documentado em 500 delas. O comportamento animal sexual toma muitas formas diferentes, mesmo dentro da mesma espécie. As motivações e implicações de tais comportamentos têm ainda de ser totalmente compreendidas, uma vez que a maioria das espécies ainda não foram totalmente estudadas. De acordo com Bagemihl, "o reino animal [faz] isso com muito maior diversidade sexual - inclusive homossexual, bissexual e sexo não-reprodutivo - do que a comunidade científica e a sociedade em geral estão previamente dispostas a aceitar." A pesquisa atual indica que várias formas de comportamento sexual homossexual são encontradas em todo o reino animal. Uma nova revisão feita em 2009 das pesquisas já existentes mostrou que o comportamento homossexual é um fenômeno quase universal no reino animal, comum em várias espécies. Esse tipo de comportamento sexual é mais registrado em espécies sociais. De acordo com o que disse a geneticista Simon Levay em 1996, "embora o comportamento homossexual seja muito comum no mundo animal, parece ser muito incomum que os animais tenham uma predisposição de longa duração para se engajar em tal comportamento à exclusão das atividades heterossexuais. Assim, uma orientação homossexual, se é que se pode falar de tal coisa nos animais, parece ser uma raridade."Uma das espécies em que a orientação homossexual exclusiva ocorre, entretanto, é a da ovelha domesticada (Ovis aries). "Cerca de 10% dos carneiros (machos) se recusam a acasalar com fêmeas, mas prontamente se acasalam com outros carneiros do mesmo sexo."
A observação do comportamento homossexual em animais pode ser visto como um argumento a favor e contra a aceitação da homossexualidade em humanos e tem sido usada especialmente contra a alegação de que é um peccatum contra naturam ("pecado contra a natureza"). Por exemplo, a homossexualidade em animais foi citada na decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos no julgamento Lawrence versus Texas, que derrubou as leis contra a sodomia de 14 estados daquele país.

Machos da espécie Pato-real se relacionando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário