.

.

.

.

sábado, 21 de setembro de 2013

OS ESTRANHOS NO NINHO

Pode ser que você já tenha se dado conta que o Modelito que está por aí não serve para você. Esse Modelito puído e surrado com promessas muito improváveis de felicidade é absurdo, despótico e autista.
Para os seguidores desse Maldito Modelito não há felicidade possível fora do casamento, da procriação, do sucesso profissional, da saúde perfeita, do milhão de amigos, do carro do ano, da excursão à Disney e da casa na praia. Esse Modelito de merda é o maior gerador de infelicidade do planeta. A pessoa que não se encaixa no paupérrimo modelo da grande maioria dominante sofre horrores. Eu mesmo lutei anos a fio para me enquadrar nessa bosta de modelo monolítico, hermético e estúpido. Até que criei o meu próprio modelo. Quem não tem PROJETO PRÓPRIO é levado a adotar o Modelito infame. Pertencer a uma família não pode ser a panacéia para todos os males; uma muleta ao alcance da mão. Pode ser bom ter uma família, mas não pode ser uma ligação incondicional.
Sem saír muito do regime hediondo do Capitalismo, adotando modelos existenciais próprios, é possível produzir muitas toneladas de felicidade pura.
Esse modelito de frango com macarrão e salada aos domingos na casa da Vóvó, do clã que briga pra caramba e sofre pra burro, mas continua grudado com Superbonder e modelado com Durepox, traz muitos malefícios à saúde mental. Este fato talvez explique o nível de desordem mental e desalinhamento dos juízos com que sempre nos deparamos. Meu amigo, fuja do convencional, faça  a calibragem, o balanceamento e a cambagem dos seus miolos e seja muito feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário