.

.

.

.

domingo, 27 de outubro de 2013

APRENDER A VIVER

Sempre ouvi dizer na minha Deformação Católica, que aprender a viver é aprender a morrer. Descontado o caráter místico, emblemático e assustador desta frase, é isso mesmo: aprender a viver é aprender a morrer.
É imprescindível morrer enquanto se vive:
- Morrer para as Receitas de Felicidade Coletiva.
- Morrer para as Práticas Culturais do grupo.
- Morrer para a Competição Babaca que só nos leva mais rápido ao túmulo.
- Morrer para a Auto-Publicidade Falaciosa.
- Morrer para as Ilusões da Estúpida Sociedade de Consumo.
- Morrer para as Promessas fáceis de Coisas Difíceis.
- Morrer para certas Drogas Sociais como Novela, Academia de Ginástica e Churrasco.
- Morrer para esse Romantismo Folclórico e Delirante forjado com um Amor Arruinado e Decadente. 
- Morrer para a Vida Social sem critérios.
- Morrer para o Acúmulo de Coisas Inúteis e matar a Ganância.
- Morrer para todos os Filhos da Puta declarados e oficiais que têm o tamanho  de todos os Oceanos conhecidos.
- Morrer para os Mistificadores, Mercadores dos Mistérios da Criação.
- Morrer para esta Sociedade Fast-Crazy.
- Morrer para a Espera de coisas que sabidamente nunca vão chegar.
- Morrer para a Inércia do Sonho Alienante.
Com tudo isto morto e cremado, a vida pode recomeçar em outras bases.

Nenhum comentário:

Postar um comentário