.

.

.

.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

ÀS ALMAS COM PUS

Se você mora neste planeta e ignora a miséria e a fome na África, você no mínimo é um mal informado e no máximo um distraído clínico. A África é um continente intrincado com sérias divergências étnicas, com mil conflitos tribais, mas como podem deixar os africanos chegar a este ponto? Quem detem o poder no mundo é responsável. Todos os que têm alguma forma de poder político e econômico deveriam ser julgados por um Tribunal Internacional e ser condenados.
Estas imagens não são suficientemente difundidas. Só distribuem estatísticas. As estatísticas são mais  assépticas e neutras. Temos que publicar estas imagens. Se alguém ficar insensível a estas imagens é com certeza absoluta um psicopata GRAVE. E psicopatas graves não faltam por aí. Todo o indivíduo que tem Ânsia pelo poder tem traços de psicopatia.
É esta a recepção que oferecemos a uma criança que visita o nosso planeta? É assim que se faz? O Holocausto não acabou. O Holocausto está fragmentado e diluído mas longe de acabar. Falta publicidade para este Holocausto contemporâneo.
Todo mundo preocupadinho com o seu cotidiano e a África, vítima do mundo ocidental civilizado? A África é vítima das grandes potências ocidentais, insensíveis à miséria. São ALMAS COM PUS.
Sou avesso a sensasionalismos. E isto não é sensacionalismo; isto é indignação. 
Só coloquei estas imagens porque ao fazer uma pesquisa no Google deparei-me com elas e fiquei tocado e estarrecido. E vou parar por aqui porque isto é inominável. Eu não aguento.
P.S.- No nosso mundinho ocidental, os animais domésticos são muito mais respeitados que grande parte dos africanos.
As principais causas da fome na África
O continente africano é um grande produtor e exportador de produtos oriundos da produção agrícola, no entanto não consegue alimentar sua população. A África apresenta um elevadíssimo número de subnutridos, isso lhe dá a condição de pior do mundo nesse aspecto.

O continente se caracteriza pela presença da fome, realidade que aumenta a cada dia. Os países que mais sofrem com a fome são: Etiópia, Somália, Sudão, Moçambique, Malavi, Libéria e Angola.

As estimativas são pessimistas, segundo um relatório do Instituto Internacional de Pesquisa em Política de Alimentação, o número de crianças subnutridas subirá cerca de 18%, estimativa para o ano de 2020.
De acordo com o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU, James Morris, a escassez de alimento na África provoca a instabilidade política, desse modo, a fome é, ao mesmo tempo, causa e conseqüência da pobreza. Além disso, é causa e conseqüência dos conflitos.
No mesmo estudo foi divulgada outra estimativa, que afirma que nos próximos 20 anos o continente africano terá uma diminuição na produção de alimentos em cerca de 20%, fato desencadeado pelos conflitos internos.

Segundo estudo realizado pela ONU (Organização das Nações Unidas), cerca de 150 milhões de pessoas africanas não têm acesso à quantidade mínima de calorias diárias. E o pior, outros 23 milhões podem literalmente morrer de fome ou por causas provenientes da mesma, como insuficiência de determinados nutrientes no organismo: falta de potássio, proteína, cálcio, entre outros.

É de conhecimento de todos que a África convive com o problema da fome, agora basta saber quais fatores desencadearam as diversas mazelas sociais que essa parte do mundo se sujeita.
Uma das causas da fome está ligada à forma de ocupação do território e a extrema dependência econômica externa, herdada do período do colonialismo. Isso é agravado ainda mais com o acelerado crescimento populacional.

As taxas de crescimento natural na África são as mais elevadas do mundo. Para se ter uma idéia, a população africana em 1950 era constituída por 221 milhões de pessoas, atualmente, são mais de 850 milhões.
São muitos os motivos que proporcionam esta situação deplorável. A seguir, os fatores que favorecem a proliferação da fome no continente:

• Ocupação de grande parte das terras para o plantio de culturas monocultoras destinadas à exportação, portanto não produzem alimentos que abastecem o mercado interno.

• Diminuição da oferta de alimentos no continente.

• Grande ocorrência de desertificação, em razão da ocupação de áreas impróprias para agricultura.

• Diminuição das pastagens e terras férteis no continente.

• Os conflitos étnicos que resultam em guerras civis.

Em suma, o que temos é um quadro socioeconômico bastante debilitado, e as perspectivas são negativas em relação a esse continente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário