.

.

.

.

sábado, 30 de novembro de 2013

NA JUGULAR - UM BLOG À MARGEM

Nem ousei usar a palavra Marginal. Marginal é bandido. Acho que os bandidos foram contemplados injustamente com uma linda palavra. Para os que fingem que sabem nadar, gostaria de dizer que há vida, dignidade, honestidade, coragem, misericórdia, virtude, autonomia, generosidade e muita felicidade na margem.
Este blog está situado exatamente na margem. A prova disso é o número de visualizações e  a quase ausência de comentários. O teor das postagens destoa da futilidade e esterilidade quase institucional da blogosfera. Aliás o mundo virtual é o lugar mais masturbatório que já conseguiu existir. Na margem, luto muito modestamente para denunciá-lo e  humanizá-lo, criando brechas e fissuras na construção da realidade.  A despeito de todos, é na margem que eu resido e me fortaleço.
É um blog de "voyeurs" não sexuais, alguns leem mas ninguém comenta, ninguém segue, ninguém se manifesta. É óbvio que não se trata de pornografia, há entretanto nuances de um certo erotismo filosófico. (O orgasmo é um ponto de vista.) Escolha onde ter mais prazer se os seus hormônios lhe permitirem. 
Trata-se de um bom blog para a punheta social, psicológica e emocional. Sei que de alguma forma proporciono algum tipo de prazer; isso me alegra. Não estou teorizando, estou constatando e estou tipificando.
Um dos objetivos do Blog é esse - provocar nuances de prazer secreto. E só quem está na margem ou  tem simpatias pela margem pode usufruir de satisfações inconfessáveis.
Todos acham que o que é bom e respeitável está no rio. Ledíssimo engano! (Tudo é uma questão de maioria e publicidade.) Só vejo uma multidão de afogados dando braçadas que não convencem mais ninguém. O melhor está à margem.
Eu que conheço toda a extensão da margem e moro no (R)rio, posso assegurar que esta é a geografia ideal.

2 comentários: