.

.

.

.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

AS EXÉQUIAS DO ÓCIO

OTIUM CUM DIGNITATE
Descanso com dignidade. Expressão de Cícero aplicada aos letrados de seu tempo que dispunham de recursos para levar uma velhice inteiramente dedicada aos livros.

A FELICIDADE DOS VAGABUNDOS

Foi-se o tempo dos vagabundos. Ninguém vaga mais, ninguém divaga mais. Todos sabem para onde têm que ir e o que têm que atingir. Todos têm que atingir a morte com menos prazer e mais estresse.
Quando se ferrar no trabalho e não fazer outra coisa senão trabalhar vira moda e doença, parece que não há alternativas. Quando a maioria se fode, as pessoas se sentem compelidas a se foder também. É uma espécie de comunidade dos ferrados que se consolam uns aos outros dizendo que é mesmo assim.
Mas é muito mais grave que isso. O medo do ócio é o medo de se encontrar consigo próprio e ter desagradáveis surpresas. O medo do ócio é o medo de si mesmo, é o medo de constatar a covardia de seguir o grupo estulto. Ninguém quer ócio, todos preferem o negócio; estar no mundo e não ver o mundo. Seguir a manada com o "esprit moutonnier" que caracteriza a gentalha.

Seguir a manada dá segurança, mas conduz ao atoleiro. Para que serve essa ideia falsa de segurança e de appartenance se você vai sofrer e se frustrar. Foram-se os tempos da ousadia. Ninguém se aventura mais em caminhos pessoais. Abunda a mesma opinião. As polêmicas são as de sempre - até cansa. Que mundo monótono e previsível! Todos na mesma direção.
As pessoas se expõem apenas na medida exata do seu narcisismo. Não passam disso. Não vão além. E com atitudes muito convergentes acabam impondo a todos o atoleiro.
Nem vou falar do Domenico De Masi. As pessoas o citam mas não o seguem. Domenico De Masi não serviu para quase nada porque apesar das suas fantásticas reflexões sobre o ócio criativo, não alterou absolutamente nada no percurso obsessivo dos idiotas.
Alguma coisa muito patológica se instalou entre nós. Gozar no trabalho é a suprema obscenidade. Não há nada mais obsceno do que isso. Se você goza no trabalho vá se tratar. Vá tomar remedinho. Você precisa muito de tratamento.
Na lógica capitalista, o capital te tira o tempo que é a única coisa verdadeiramente importante que você tem e você ainda goza com isso. Você está muito doente. Não podemos mais dizer vai trabalhar vagabundo, mas vai vagabundear trabalhador. Faça isso.
Somente as pessoas imaturas precisam de muito dinheiro para preencher bem seu tempo de folga.” Domenico De Masi 
P.S.- Depois dizem que Chico Buarque não compõe mais como antes. Claro, até ele foi sequestrado pelo "ocupacionismo diurturno e irrestrito". Ninguém mais cria nada que preste. É só trabalhar, acumular e morrer cheio de bagagem para viajar de caixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário