.

.

.

.

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

ESPIRITUALIDADE VERSUS RELIGIÃO

As pessoas verdadeiramente espiritualizadas que conheço não frequentam nenhum credo religioso. Espiritualidade independe de religião. Há muito ateu espiritualizado por incrível que pareça. Observe e pense.
A religião embrutece o espírito e HUMANIZA tudo o que é estritamente espiritual e por isso não pertence a esta esfera ecológica. Existem muitas pessoas que se escondem atrás de religiões como se escondem atrás de dinheiro para afirmar o que nunca foram. É lamentável.
Só não vou culpar essas pobres criaturas porque elas estão muito longe  de si próprias. A sua principal característica é a imitação e a repetição.
A espiritualidade de certos indivíduos que professam cultos religiosos é ZERO. Não há a mínima misericórdia, não há o mínimo reconhecimento do outro, não há solidariedade,  nada que lembre a nobreza de espírito, nada, absolutamente NADA.
A mim  vocês não enganam. Enganem-se a si mesmos e aos poucos ingênuos deste planeta. Estou farto de religiosos egoístas insuportáveis que usam a religião como escudo. Aliás, eu já fui vítima deles. Deveria processá-los por falsa identidade.
Se você está perdido, reconheça a sua perdição. Não se aproprie de tradições e erros milenares para parecer superior aos outros porque você não é superior porra nenhuma. Você não é superior só porque coloca palavras de pseudo-profetas na sua boca. Vá catar coquinho no Recreio dos Bandeirantes.

Quero atos concretos, claros e irrefutáveis. Vá se ferrar com o seu palavreado decorado, falso e fácil. Não cola.
Cansei do seu papo furado. Quero ver o que você faz. A religião para você não passa de uma torpe estratégia vivencial para tirar proveito dos incautos.
Prove que o seu espírito é nobre. Prove a sua elevação anímica. Prove, muquirana do cacete!
Em tempo, o maiores espiritualistas deste planeta nunca tiveram religião. Vide Cristo, Buda, Maomé, etc. A religião foi uma criação ulterior para burocratizar o espírito e tornar HUMANA qualquer experiência fora da consciência, da normalidade e da razão.

Um comentário:

  1. Nada a acrescentar... O óbvio é tão claro que quase não dá para entender por que não é visto. Mas, dá para explicar! E por isso estão vocês aqui - artistas que são -, exercendo o papel Social da Arte. Sabemos que esse lado da Arte não dá dinheiro e nem prestígio... Mas, quem disse que é isso que procuramos?
    Parabéns e um grande abraço, Joaquim!

    ResponderExcluir