.

.

.

.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

MONÓLOGOS A DOIS

Quando o seu interlocutor não dá sequência ao que você diz e quando você não dá sequência ao que o seu interlocutor diz, ficam caracterizados os monólogos a dois. É uma situação muito triste, de carência afetiva extrema e de egoísmo exacerbado. Infelizmente isso acontece com alguma frequência.
Trata-se de um excelente teste para se avaliar uma amizade. Uma amizade cheia de monólogos, não é amizade, é muleta psicológica de uma das partes ou das duas.
É chocante quando o interlocutor  emenda no que você acabou de dizer, uma história completamente diferente e estranha ao contexto inicial. Recuso-me a ser muleta verbal do outro e não quero que ninguém se preste a esse papel desagradável por minha causa.
Monólogos, eu ainda os prefiro com as paredes, móveis, utensílios e espelhos em geral. É muito mais digno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário