.

.

.

.

sábado, 28 de dezembro de 2013

SER FELIZ NO INFERNO

É muito fácil ser feliz num mundo inventado e romanesco. Um  mundo onde há um deus que nos protege, uma humanidade cordial e vida eterna para todos os inventores. Contudo, há  pessoas que não têm a menor capacidade para criar mundos imaginários. Há pessoas que se baseiam somente na sua razão  e na sua experiência, para julgar e interpretar o mundo, isso é o outro nome da lucidez. É mais fácil ser feliz no faz-de-conta.  Quero ver ser feliz e lúcido ao mesmo tempo.
Os delirantes têm uma alegria boba, artificial e pueril de palhaços no picadeiro.
O mérito é de  quem não tem talento para acreditar no inverossímel. Não admiro os fracos que se inventaram histórias e contagiaram o mundo inteiro, para suportar a realidade. Como já disse, tudo é uma questão da eficácia da publicidade. A propaganda oficial apoia e  enaltece os alucinados. Nem tudo tem caráter tão interpretativo-pessoal. Há coisas que são como são e ponto final e acabou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário