.

.

.

.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

CONTUDO, INFELIZ

Existe o que poderia se chamar de folclore da felicidade. Ouvimos frases do tipo: "Assim não dá para ser feliz" ou "Tem tudo para ser feliz". Parece que a felicidade é um caminho que serve para todos. Por aqui, todos são felizes. Por ali, não. Quando felicidade é sem sombra de dúvidas, um delicado  caminho sutil, muito pessoal e secreto. 
E não faltam as receitas de felicidade e muito menos quem as propague, Globo Repórter, Fantástico, Novelas, Séries, sem falar da Exportação Cultural dos Estados Desunidos e etc.
Felizes com certeza são os que casaram e os que procriaram. Segundo o folclore não dá para ser feliz sózinho. Claro que não falo de isolamento. Confunde-se demais solidão com isolamento. Isolado é impossível ser feliz, mas só, é perfeitamente possível. Se forem contariadas as crendices do folclore popular, ninguém acredita na tua felicidade. Acham que você está mentindo.
Muito tempo e energia são gastos seguindo os preceitos da sociedade despótica. Felizes com certeza, são os que venceram na vida. Há poucas expressões mais idiotas que esta. E por vencer na vida, entende-se tudo o que alude a dinheiro e materialismo.
Então já temos alguns componentes preciosos para a confecção da felicidade: casamento, procriação e grana ou muita grana, para garantir mais felicidade duradoura. Depois, muita vida social, muitos amigos ou falsos amigos, pouco importa. O importante é estar rodeado de gente. Muitas viagens, sim porque sem viajar, ninguém absolutamente ninguém, pode ser feliz. Ai de quem disser que viajar pode ser um porre  monumental! Não, viajar é sempre bom, muito bom e não conteste. Nada de ficar quieto no seu canto. Todos têm que estar sempre num frenesi sem controle, saltando como primatas e fazendo muito barulho. Isso sim tem som de felicidade.  A felicidade nunca pode ser tranquila, preguiçosa e silenciosa. Isso é depressão....
O pior de tudo é que ninguém confessa a sua infelicidade. São todos felizes. Uma felicidade regada a muito álcool, muita maconha, muita cocaína, muitos fármacos psicotrópicos, muita religião alienante, muito copa do mundo e muito trabalho extenuante e sem tréguas.
A merda é quando o cara se dá ao trabalho de  seguir e reverenciar todas estas manifestações do folclore da felicidade e consegue se tornar um padrão exemplar de infelicidade. Aí, ninguém entende. Mas ele tem tudo - dizem. É, tem tudo; tudo o que os outros determinaram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário