.

.

.

.

terça-feira, 29 de julho de 2014

LIVRA-ME DE MIM

Se de fato existe um criador, coisa que eu duvido e faço pouco, ele fez uma grande cagada metafísica: Nosotros. O  suposto criador deu consciência a um pobre animal com tripas - nosotros. Que cagada! Isso não se faz. Não se dá consciência absoluta a um animal  intrincado, frágil e finito. Gostaria mesmo que esse tal criador existisse para poder bater um papo com um cara tão cruel e incompetente. Criadores à parte, acho que a espécie humana é um erro clamoroso. E nada a fazer, uma vez que esse erro se repete bilhões de vezes porque está programado por esse criador muito do filho puta a se reproduzir sem parar por força das dopaminas, testosteronas e outras merdas mais. 
O erro é tão flagrante que essa criatura que somos todos nós, entre outras coisas produz ANGÚSTIA. Kierkegaard dizia que a angústia é o preço da liberdade humana. Mas que preço exorbitante Kierke! Ninguém merece. Entre outras programações, também fomos programados para viver em grupo e neste sentido coexiste uma incomensurável programação cultural.
Produtoras imbatíveis de angústia, as pessoas estão sempre  desesperadas para se verem livres delas mesmas. Todos têm que viver em grupo, casar-se, procriar, sair todos os sábados à noite, não faltar a nenhum churrasco, aumentar a barriga no chopp com os amigos da onça e depois dazer um regime, ver todos os filmes em cartaz, ir ao maracanã, evadir-se, viajar, viajar e viajar sempre. Fugir de si próprio porque ninguém se aguenta em estado natural tal qual foi feito e programado pelo criador irresponsável e pela cultura babaca. Nem vou falar em outras formas de fuga. Só falo das lícitas. Das ilícitas posso falar em outra postagem. 
E depois os grandes especialistas da porra toda ainda se perguntam por que as pessoas se drogam. Mas é óbvio. Elas se drogam porque é muito penoso viver neste organismo made in china. Será que esse tal criador era chinês?
Então é isso. As pessoas fazem de tudo e mais alguma coisa para se verem livres delas mesmas. Solidão é Satanás. Elas não se aguentam. Eu entendo muito bem. Quem consegue se curtir sem apelar para essas fugas todas que a sociedade colocou sagazmente à nossa disposição  é considerado meio maluco. Mas se ele pode e deve fugir por que não foge? - indagam. Por que esse tipo de maluco é  feliz na prisão e já fez as pazes com a sua própria angústia. Coitados dos que ainda não conseguiram ser malucos.
P.S.- " O homem é uma corda atada entre o animal e o além-do-homem."

Friedrich Nietzsche 

Ou seja o homem não é porra nenhuma; é um grande impasse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário