.

.

.

.

sábado, 13 de setembro de 2014

OS ELEMENTARES

Não me refiro aos elementares ou elementais, espíritos da natureza que é uma bobagem com poucos precedentes.
Hoje vou falar dos seres rudimentares, pré-primários, alunos assíduos do extinto Mobral que cruzam o meu caminho e me deixam à beira de um ataque de nervos.
Os elementares por vezes já têm mais 40 anos, estão neste mundo em passeio errático e não entendem absolutamente nada do que acontece com a sua mísera existência. São peritos em repetir frases desprovidas de qualquer sentido, do tipo: "Crescei e multiplicai-vos", " Você está generalizando." "Vai com deus.", "As coisas vão melhorar." "Deus está vendo." " O importante é a beleza interior." " Só o amor constrói." " Quem espera sempre alcança." " Você tem que se casar." " Vai morrer sozinho, hein!" " Um beijo no seu coração." Vamos ser campeões."Enfim...
Os elementares sofrem da Síndrome do Papagaio- Sem-Penas, repetem, repetem e não refletem nunca. Sentem-se confortáveis em excretar frases que dão poeira na língua. Puta que pariu! Ninguém merece esses caras. Ninguém.
Os elementares vivem como autômatos. São a cópia quase fiel do pai, da mãe ou da avó. Não aprenderam porra nenhuma com a puta da vida  e acham que só os otimistas são felizes. Muito pelo contrário, os pessimistas são mais felizes. Pense bem se você não é elementar. Pense. (Pessimismo nunca foi sinônimo de depressão e negatividade.) Todo o pessimista é no mínimo, bem informado e lúcido. Alienação nunca significou felicidade. Alienação é pasmaceira de doidão inalador de cannabis e tomador de cevada.
Os elementares são politicamente corretos porque está na moda. Não dizem puta porque é feio, mas dizem garota de programa como se isso mudasse a condição da piranha. Como se isso recompusesse a mucosa vaginal da desavergonhada. São pegadores inconsequentes de qualquer onda. O negócio dos elementares é reproduzir com esmero e empenho o discurso de todo o mundo. Os elementares não são nada porque estão diluídos no ácido corrosivo da massa. Os elementares têm um medo desmedido da morte porque não fizeram nada da merda das suas vidas. Não encontraram sentido na vida porque nem o procuraram. Alguns até procuraram, mas procuraram em lugar improvável, no Além. São invejosos compulsivos porque só têm sexo, bunda, bolso e boca. Falta-lhes muita coisa. Falta-lhes entre outras coisas, coragem para sofrer e aprender que só o sofrimento é pedagógico. Nunca ninguém aprendeu nada de relevante tendo orgasmos múltiplos e massagem prostática concomitante. Nunca. 
Os elementares são completamente infantilizados. Deixaram-se infantilizar. Têm cara de adultos e emoção de criancinhas insuportáveis. Detesto criancinhas barulhentas e morbidamente egocêntricas.
E para quem diz que eu sou amargo, que passe a língua na minha alma.

3 comentários: