.

.

.

.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

INSANIDADES PÓS-MODERNAS

Não sei  se tem a ver com a minha idade, com a minha maturidade, mas eu nunca vi tanta insanidade na minha vida. Pode ser também que graças à Internet eu tenha mais acesso à insanidade. Antigamente, a insanidade não conseguia ser tão difundida. A insanidade sempre esteve na ordem do dia, hoje no entanto, ela invade os nossos cotidianos e violenta as nossas esperanças em dias melhores.
Escolhi alguns textos que garimpei na internet para ilustrar o que digo. Primeiro, escolhi algumas frases que achei interessantes sobre o tema.

Quando uma pessoa sofre de um delírio, isso se chama insanidade. Quando muitas pessoas sofrem de um delírio, isso se chama religião.
Robert M. Pirsig
E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.
Friedrich Nietzsche 
Estar apaixonado é estar mais próximo da insanidade do que da razão. 
Sigmund Freud
Insanidade em indivíduos é algo raro - mas em grupos, festas, nações e épocas, ela é uma regra.
Friedrich Nietzsche 
Hitler não era mau, foi apenas um louco, mau foi o povo que aclamou sua insanidade.
Luqui Vlad Zavroiëviski
Quem ganha o premio antes da luta, perde motivação pela vitória.
Insanidade Lírica
Seguem três textos que revelam a insanidade de nossos dias.

No Irã, sair com cão na rua poderá ser ofensa a Maomé

Para muçulmanos, cachorro
é considerado animal impuro


Legisladores conservadores do Irã apresentaram projeto de lei que, se aprovado, passará a considerar como ofensa a Maomé levar cachorro para passear em lugar público, como ruas e praças. No caso, o dono do animal terá de pagar multa ao equivalente a R$ 800 a R$ 8.000 ou levar 74 chibatadas.
Um grupo mais radical quer proibir a posse do animal.
Para o Islã, o cachorro é um animal impuro. Algumas raças do animal são consideradas demoníacas, embora as duas citações sobre cachorro no Corão não sejam negativas.
Contudo, na interpretação de muçulmanos mais conservadores, os cães são malditos porque, em uma oportunidade, o anjo Gabriel não encontrou Maomé porque um filhote de cachorro tinha estado na casa do profeta.
O anjo Gabriel teria dito: “Nós anjos não entramos em uma casa em que há um cachorro ou uma foto”.
Entre os ditos esparsos de Maomé, há um em que o profeta teria ordenado a matança de cães, mas a credibilidade de tal ordem é contestada por estudiosos do islamismo.
O projeto de lei ressaltou que, além de ser “contra a cultura islâmica”, passear com cachorro e macaco em lugares públicos é prejudicial à saúde.
Antes da elaboração do projeto, a Polícia Moral do Irã já vinha pressionando donos de cães a entregá-los para sacrifício.
No Irã, quem tem cachorro é uma minoria, constituída principalmente de pessoas ricas.
Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2014/11/no-ira-sair-com-cao-na-rua-podera-ser-ofensa-a-maome.html#ixzz3IQzAguHT


Universal é condenada por agredir epilético em exorcismo



Aposentado teve convulsões

A Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus) vai ter de indenizar em R$ 50 salários mínimos (R$ 23.250,00) o aposentado Higino Ferreira da Costa, que foi agredido em uma sessão de exorcismo durante um culto. É o que decidiu o STF (Superior Tribunal de Justiça), confirmando uma sentença do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo. A informação é do site do STF.
Costa sofre de epilepsia e teve convulsões quando passava diante de um templo. Ele conta que foi carregado por pastores e obreiros para o altar e lá agredido, em um ritual para livrá-lo do Satanás.
Depois, ele foi levado para um banheiro onde levou socos e pontapés e em seguida desmaiou.
Costa disse que os pastores também ficaram com o dinheiro que ele tinha sacado um pouco antes em um caixa eletrônico.
O juiz de primeira instância negou o pedido de indenização. O aposentado recorreu ao TJ, e o caso foi parar no STJ, com decisão favorável a Costa.
Para o ministro Luis Felipe Salomão, do STJ, Costa foi submetido a violência física e a humilhação. Cabe, portanto, no entendimento daquela Corte, disse Salomão, uma indenização por danos morais.
Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2009/08/universal-e-condenada-por-agredir.html#ixzz3JQoCR8Ok


A insanidade chega ao reino animal.
Focas estupram pinguins e pesquisadores não sabem o motivo

Agência O Globo


O fenômeno recente tem sido observado entre as jovens focas na ilha Marion no Atlântico Sul e o alvo são os pinguins-rei.
RIO - De acordo com estudo publicado na revista “Polar Biology” deste mês, focas estão estuprando pinguins e os cientistas não conseguiram entender o porquê. O fenômeno recente tem sido observado entre as jovens focas na ilha Marion no Atlântico Sul e o alvo são os pinguins-rei.
A equipe sul-africana responsável pela pesquisa - Ryan Reisinger, William Haddah, Tristan Scott, Marthán Bester e Nico de Bruyn - documentou três incidentes de focas na ilha abusando sexualmente os pinguins. Houve outros incidentes registrados nos últimos 30 anos.
- Em termos humanos, você chamaria isso de estupro - disse Reisinger ao jornal “Times Live”. - Os pinguins reagem como se o predador estivesse tentando matá-los, pois eles inicialmente lutam por suas vidas, mas as focas são muito maiores e mais fortes, de modo que eles facilmente dominam os pinguins.
Em uma ocasião, uma foca tentou copular com um pinguim, e, em seguida, o comeu. Os pesquisadores não têm certeza do que está levando os animais a esse comportamento. No início, pensou-se que era parte do comportamento predatório normal das focas com relação aos pinguins.
O comportamento altamente incomum pode ser aprendido, “mas não sabemos o que pode ser a recompensa por aprender esse comportamento”, disse Reisinger.
Outra teoria é que a concorrência pelo sexo feminino tem feito com que alguns machos mais jovens atacassem os pinguins.
- É um pouco desconcertante, chocante e, estranhamente, um pouco embaraçoso ver, mas não há definitivamente nada de engraçado nisso - alertou De Bruyn.

Um comentário:

  1. Belíssimo apanhado. Penso que vivemos momentos de transição. O que se pensava sobre insanidade (em alguns casos) não se sustente mais. Atualmente, antes de julgarmos insanidade ou não, estamos considerando, além do ponto de vista, a vista desse determinado ponto. Grande abraço e parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir