.

.

.

.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

EGOS EMBRIAGADOS

Já se foi a época em que  se falava de Egos inflados. Convivi quase harmoniosamente com gente arrogante durante décadas. O Ego inflado, agora, não está apenas inflado, está completamente bêbado. Um Ego inflado já perde o seu senso de orientação. Imagina um Ego totalmente mamado! É dose, Véio!
Vivemos a era dos Egos ébrios, ébrios de si mesmos e entropecidos por si próprios. Nunca vi tanta gente tão susceptível e orgulhosa. Acontece que a bebebeira do Ego também não é uma boa solução existencial para se chegar à felicidade. Sempre falo em felicidade. Não é repetição. Felicidade é a ÚNICA coisa que me interessa verdadeiramente. O resto é acessório e correlado e eu não valorizo. E garanto-lhes que é possível ser feliz no inferno. Há pessoas que dizem que a vida é bela e que tudo é lindo e são extremamente infelizes. Pessoas com visões romantizadas do mundo nunca serão felizes. Eu, é o contrário, acho que a vida é uma agressão estúpida, desnecessária e perfeitamente evitável e sou feliz.
Voltando aos do Ego bêbado, eles inauguram uma nova forma de autismo; um autismo sofisticado mas que no final das contas compromete a visão da realidade e o relacionamento social tanto quanto o Transtorno de Espectro Autista. É duro relacionar-se com uma pessoa que não te vê. E não faltam neste mundo pessoas que não nos veem. Este mundo está repleto de pessoas que só veem o que lhes interessa ver; o que contribui para a manutenção da sua loucura muito pessoal e do seu autismo. É deprimente falar com uma pessoa que não presta atenção na tua presença, na tua existência, na tua pessoa. Com essas novas tecnologias este mundo virou o paraíso de autistas. Ou as pessoas te respeitam minimamente notando a importância da tua presença ou prefere a solidão que não é tão ruim quanto dizem por aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário