.

.

.

.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

VOCÊ TAMBÉM PODE TER UMA SUPERVAGINA

 PARA HOMENS E MULHERES

Não fazia nenhuma pesquisa na internet. Saí do meu e-mail e invadiu o meu campo visual míope a seguinte manchete: "Tenha uma Super  Vagina."  Pensei imediatamente que esse artigo não era para mim, claro. Mas fiquei curioso. Como seria ter uma super vagina? Coitado de mim, eu que só conheci vaginas. Li o artigo e gostei do estilo da articulista;  muito objetivo, vigoroso, feroz e sem meias palavras. Adorei  a autora do texto que se intitulava Professora de Ginástica Íntima. Que beleza! Afinal tudo era mesmo passível de malhação, inclusive a própria. Certamente, ela era detentora de uma Super VA GI NA. Uma razão a mais, para admirá-la, pasmar e babar desbragadamente..
Depois desse artigo, carimbei precocemente o meu passaporte para a terceira idade. Estou ficando caduco. O que haveria de fazer, eu que não tenho mais o viço e o verdor da juventude, diante de uma Super Vagina? Chega a ser assustador.
A professora de ginástica heterodoxa dava quinze conselhos para turbinar o mecanismo. Usar espelho para poder vê-la, trocar de calcinhas, (evitar calcinhas muito usadas), trabalhar a elasticidade com um bom vibrador, fazer com que os homens  conhecessem a vagina em todas as suas minúcias e idiossincracias, encontrar logo o ponto G, masturbar-se com alguma frequência, trabalhar os músculos pubococcígeos e circinvaginais para manter a libido em alta. Falava em feromônios e dizia também que a vulva única, é como uma impressão digital (neste ponto, pensei besteira, pensei em substituir a velha e surrada biometria pela vulvometria, desculpem. Foi sem querer.) Falava em lubrificação, em aparência, em beleza vaginal, nos multiorgasmos, enfim, li até ficar quase tonto. Parecia uma operação de guerra para se chegar à Super Vagina.
Apesar do choque que tive com a leitura da Super Vagina, acho que já está mais do que na hora de popularizar a super vagina. Há séculos que falam no super pênis e passam a vida inteira ocupados em espetaculizar o pinto, por que não promover também o show da perereca?
Atualmente não basta mais ter um reles orgão sexual. Isso é muito pouco. Temos que turbinar, bombar, aumentar, anabolizar tudo o que temos. Vivemos um período de "déjà vu." Todo mundo exala um fastio bocejante de tudo. Está todo mundo de saco cheio. São poucas as coisas que comovem verdadeiramente. Sobra tédio e repugnância pelo que já somos. Nada parece ter mais graça. Fabricam-se novidades para manter um certo nível de entusiasmo e evitar a famigerada depressão. Tudo tem que ser Super e Mega, com certeza, para disfarçar a pequenez das almas perdidas e inseguras.
O simples, o prosaico, o comum é repudiado e excluído. Cá pra nós, que ninguém nos leia. Então, não basta ter uma vagina? Não chega? Tem que ser Super? Para que serve tanto malabarismo? Se pelo menos as pessoas conseguissem ser felizes com os seus super pênis e suas super vaginas! Mas nem isso!
O que está acontecendo, hein?!

Um comentário:

  1. Porque não ocorre a essas pessoas ter um super-cérebro? Já imaginou sair de casa dizendo que vai para academia marombar a vagina, uma super-musculação? Daqui a pouco vai haver cirurgia plástica para implantar silicones lá ... Espero não estar mais aqui. Bjs Lilian

    ResponderExcluir