.

.

.

.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

POR QUE O PALAVRÃO INCOMODA TANTO TANTA GENTE?

O ANIMAL ENVERGONHADO

Se você for blogueiro não escreva nenhum palavrão no seu blog. O BING considera blogs com alguns palavrões, blogs de conteúdo adulto e bloqueia o blog na pesquisa.

Fico impressionado com a quantidade gigantesca de pessoas que se escandaliza com uma simples palavra. Claro que não é uma palavra como outra qualquer, é uma super palavra, é uma grande palavra, é um palavrão. Essa palavra vigorosa é detestada porque tem o poder de desmascarar a civilização.
Invariávelmente o chamado palavrão faz referência ao animal que o ser humano esconde pois tem vergonha dele. Somos animais que têm vergonha de si mesmos. É uma calamidade!
Seria bem mais fácil reconhecer e assumir o animal que também somos. Temos horror a nós próprios por isso inventamos todo este processo civilizatório. A civilização é uma tentativa arrojada de negar o animal, mas é infrutífera. O animal é inelutável, inevitável e inapagável.
O palavrão incomoda profundamente a sociedade humana porque lembra as características do animal humano. O palavrão denuncia as excreções, as vísceras, o sexo e a frágil condição humana. Podem testar os palavrões. Eles só se referem ao animal que nós escondemos. Andamos vestidos e somos completamente nús, urinamos às escondidas, defecamos às escondidas, copulamos entre quatro paredes. Revelar o animal chega a ser criminoso e é punido pela civilização.
Quem diz um palavrão lembra ao indivíduo civilizado que a sua civilização não passa de uma incomensurável FARSA. A maioria acha que se sente bem na farsa. Não estou propondo um retrocesso ao neolítico, estou apenas explicando como tudo funciona. O ser dito civilizado é um emérito farsante contumaz e oficializado. A civilização é obrigatória para todos. Todos passam por um processo de lavagem cerebral chamado educação. O bem educado não diz palavrões porque acreditou piamente que bonito e de bom tom é não denunciar a farsa. Já o mal educado, denuncia a farsa civilizatória imposta despóticamente. Não há alternativas. Todos exigem boa educação. O bem educado é previsível e ratifica a farsa onde todos parecem se sentir muito bem. O mal educado coloca em risco a farsa ao desmascará-la. O mal educado também foi vítima da lavagem cerebral, mas é lúcido, tem espírito crítico e não acreditou na peça teatral.
O palavrão só pode melindrar e ofender quem vive um conto de fadas, quem insiste em permanecer no berço colorido da infância e se recusa a amadurecer.
Estamos cercados de gente infantil que está no poder e quer nos infantilizar para nos dominar. 
O politicamente correto insere-se perfeitamente neste contexto. Nunca vivemos uma época tão infantil, tão idiota e tão infeliz. 
Abaixo a censura que hoje é mais forte do que nunca. Abaixo os moralistas e nem vou apelar para a psiquiatria porque a psiquiatria é a guardiã da normalidade pública; não resolve nada neste sentido. O que resolve é  a coragem de abrir os olhos, ver e aceitar como real o que se vê.
P.S.- Os cursos de línguas estrangeiras não ensinam a linguagem coloquial porque tem palavrões. Os pobres alunos pagam uma nota preta para aprenderem a língua padrão e a língua formal. Quando os referidos alunos viajam para os países de origem desses idiomas, simplesmente não entendem nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário