.

.

.

.

quinta-feira, 5 de março de 2015

A DECEPÇÃO REDENTORA

UM HINO À DECEPÇÃO
Uma das coisas mais formidáveis que existe na face da terra é a decepção. Para quem tiver o mínimo de lucidez, não existe sentimento mais poderoso e eficaz. É evidente que sempre existirão os que se recusam a ver. Doses massivas de realidade deveriam fazer parte de qualquer programa de saúde pública.
Por vezes, a decepção não é o suficiente para que as pessoas abram os seus olhos que foram cerrados para sempre. Há um prazer mórbido no deleite das ilusões. O monumento da felicidade não se constrói com os tijolos da ilusão. Quem acha que a felicidade está na alienação e no engodo, está rendondamente ou quadrilateramente enganado.
A felicidade só se constrói com os elementos palpáveis da realidade e com o que é provável ou possível. Neste sentido, a decepção é uma peça preciosa para corrigirmos a nossa visão do mundo. Se você ainda consegue se decepcionar é porque a sua visão de mundo está muito desajustada. Use cada decepção para ajustar sempre a sua visão de mundo. Se você se decepcionou, certamente ainda estava muito iludido. Não era nada do que te levaram a crer ou imaginar; era muito pior.
No que me diz respeito, quase todo o caminho da minha felicidade é pavimentado porque imensas placas de decepção. A equação é simples. Quanto mais você estiver iludido, mais decepções você terá.
Tente livrar-se desse sentimento doloroso da decepção injetando em você, todos os dias, altas doses de realidade e esqueça o botox e o hidrogel.

Um comentário:

  1. É o popular cair na real. O ponto ideal da existência consiste em não se surpreender com nada mais, ou seja, tudo pode acontecer; esta é a realidade. Bjs

    ResponderExcluir