.

.

.

.

quinta-feira, 5 de março de 2015

MULHERES QUE DELIRAM DEMAIS

O SHORTINHO BRANCO DA AVENIDA RIO BRANCO
 UMA HISTÓRIA REAL
Hoje, vocês vão conhecer a quase mais linda mulher do mundo. A natureza foi pródiga em dons para Roberta Fonseca. No  rosto, o primor dos traços harmônicos. Tudo simétrico. O nariz formava um ângulo perfeito com o lábio superior. Os cabelos castanhos e volumosos davam-lhe novas nuances fisionômicas cada vez que mexia neles. Bom, para ser uma obra-prima só lhe faltava um pouquinho mais de curvas e uma bunda menos precária. No meu ponto de vista, é claro. Para os menos exigentes, era a própria miss Catumbi.
Conhecia Roberta há pouco tempo. Além do invólucro, meia dúzia de ois e muitas palavras ôcas, pouco sabia de Roberta. Sabia apenas que era advogada.
Certo dia, tão rotineiro como tudo que é bom, fui surpreendido pela indignação de Roberta. Vociferava:- Esses homens! Tudo tarado! Que machismo!
- O que houve?- perguntei
- Todo mundo me olhando. Que saco! Cada olhar! Me senti estuprada.
- Coitadinha! Que homens maus!- disse
- Ainda bem que existe a lei Maria da Penha e agora tem o feminicídio.
- Graças a Deus. A mulher tem que ser protegida. É uma vítima da sociedade. Coitadas das mulheres!- disse em tom irônico que ela não percebeu.
- Você precisava ver. Todos aqueles homens me comendo com os olhos!
- Roberta. Você já se deu conta da maneira como você está vestida?
- Eu sou livre. Me visto como quiser. Se bobear ando de biquini na Rio Branco.
-  Ah, agora, você tocou no problema. Você reparou que hoje é quarta-feira e o pessoal que anda na Rio Branco está vestido de maneira formal para trabalhar e  você destoa da vestimenta da maioria?
- Não tem nada a ver. Eu não sou objeto sexual.
Roberta tem 26 aninhos de pura formosura e refinada estupidez. O short de Robertinha era tão sumário que se não estivesse convenientemente depilada, poderiam eventualmente, muito eventualmente, ser expostos alguns dos seus lindos pentelhinhos. Sentiram a gravidade da situação?
- Por que é que homem é assim? Só pensa em sexo!- exclamou.
- E o que você gostaria de despertar nos homens com esse shortinho? Amor, afeto, admiração intelectual, solidariedade, carinho, espírito ecumênico, fraternidade?
- Claro que não. Mas não precisa me olhar daquele jeito.
- Roberta. Isso não depende tanto assim deles. Não é um negócio muito racional. Acredito que se a maioria dos homens pudesse refletir e racionalizar, nem se relacionaria com as mulheres.
- Você é gay?
- Gay? Não. Não. Sou lúcido. Acho que lucidez também é uma orientação sexual.
-  Não tou entendendo.
- Olha só. Os caras sem querer, produzem um montão de testosterona e sem querer também têm a sua sexualidade estimulada, testada e exigida o tempo todo. Ao contrário de você que tem as emoções estimuladas, mas a sexualidade ainda hoje é reprimida. Entendeu? Não estou justificando nada. Estou apenas tentando entender e explicar. Só. Apenas isso. Não me interprete mal.
Diante de fatos como este, peço humildemente em tom de oração, a todos os enigmas não desvendados do Multiverso que a minha produção de testosterona seja cada vez menor. Quem sabe um dia, eu serei finalmente agraciado com a verdadeira liberdade sexual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário