.

.

.

.

segunda-feira, 23 de março de 2015

VOCÊ NÃO É IMPORTANTE

-"Você não é importante!"
Esta frase pronunciada com rispidez e fúria pela filha do protagonista do filme Birdman - A Inesperada Virtude da Ignorância, chamou muito a minha atenção. O ator decadente, personagem de Michael Keaton, sofria e aprofundava a sua insuportável infelicidade ao delirar com a sua importância.
Esta postagem não pretende de modo nenhum deprimir ninguém ou rebaixar a autoestima de quem quer que seja, muito ao contrário. O meu objetivo será sempre o de promover a felicidade. Sei, no entanto, que uso métodos muito pouco ortodoxos para alcançá-la. Mas eu sou a prova irrefutável e inconteste da eficácia dos meus métodos.
No dia maravilhoso e inspirador em que você conseguir descobrir e incorporar a ideia de que você não é importante, terá dado o primeiríssimo passo na longa e íngreme subida da montanha. Há pessoas que nem sabem da existência da montanha. Acham que o mundo é apenas isto que vemos e vivemos aqui em baixo.
Você não é importante mesmo. Se você não é capaz de perceber que quase ninguém nota, percebe, valoriza e reconhece a sua presença, tenho muita pena de você. Você é digno da minha misericórdia. Se você ainda não assimilou que os seus coleguinhas de espécie estão muito ocupados com as suas vidinhas medíocres e que por isso não têm nem tempo, nem condições de enxergar a sua vaga e nebulosa presença, você ainda tem um longo e inóspito percurso de desilusão, desencanto e infelicidade a percorrer.
Você não é importante.
Você foi adestrado para pensar que tem que ser importante para alguém e para os outros e nunca ninguém te disse que a única pessoa que de fato pode reconhecer a importância do teu ser, é você. E é o quanto basta. Quantos fracos idiotas acabam morrendo muito precocemente em busca de reconhecimento e afeto? Quantos são os que fazem qualquer coisa só para ter a sensação de que são amados e estimados? Quantos? Quase todos. Quantos imploram pelo amor dos outros porque não se amam nem um pouquinho? Quantos sacrifícios são feitos, quanto tempo é perdido e quantas energias preciosas são gastas só para ter um sinal de aprovação na cara dos outros? Chega a ser deprimente esta busca da solução existencial através dos outros.
Não estou escrevendo um tratado de egoísmo e mesquinhez, estou te oferecendo óculos de graça. Se você não aceitar a minha oferta, eu entendo. A miopía deve ter alguma grande vantagem oculta. Viver na névoa, além de ser uma preferência mundial, além de estar na moda, deve ser mesmo o maior barato.
E você não é importante.

3 comentários:

  1. Já compartilhei no meu facebook, caro amigo e mestre. Estarei doravante presente neste espaço. Forte abraço.

    ResponderExcluir
  2. O comentário anterior é meu, Esteves, de Pedro Castilhos. Tive problemas para postar o comentário... Devo estar com a conta Google ativa? Pensava que fosse mais fácil... Coisas da Web, suponho. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, bem vindo ao NA JUGULAR. Obrigado por comentar.
      Um abraço

      Excluir