.

.

.

.

terça-feira, 21 de abril de 2015

ILUSÕES EM PÓ

 ILUSÕES EM PÓ E ESPERANÇAS A GOSTO
A esperança é a proteína da alma. Para mim que já tive a alma obesa de tanta ilusão, cortei os carboidratos que engordavam vergonhosamente o meu âmago. As ilusões são os carboidratos da alma.
Há ilusões sólidas, raladas, líquidas, fatiadas, em barra e em pó.
Hoje, depois que a vida se encarregou de reduzi-las a pó, só consumo ilusões em pó. Agradeço e louvo a vida pela sua competência em moer ilusões. Ainda há os comedores de enganos que insistem em ingerir ilusões em postas e depois reclamam da azia, da náusea e da infelicidade. Almas fermentadas e flatulentas nunca despertaram o meu interesse. Desprezo-as.
Se a vida ainda não reduziu as suas ilusões a pó, você anda vivendo às avessas ou pela metade. Preste atenção. Bonitas são as esperanças, até as mais tênues, frágeis e vãs, que dão beleza e graça à tragédia da condição humana.

Um comentário:

  1. Penso que a Desilusão e a Esperança são fundamentais. É o primeiro passo...
    Abraços,, Joaquim!

    ResponderExcluir