.

.

.

.

terça-feira, 7 de abril de 2015

MAS AFINAL, PARA QUE SERVEM OS OUTROS?

MIL E UMA UTILIDADES
Excetuando a meia dúzia de pessoas ou mais, com as quais temos verdadeiras relações humanas de respeito e afeto, para que servem todos os outros que nos cercam e com os quais mantemos um contrato social tácito? 
Servem para encher a fila de corpos e atrasar as nossas vidas,
Servem para nos exigir tudo e mais alguma coisa  e nunca nos dar absolutamente nada,
Servem para poluir o planeta de todas as formas, inclusive visualmente, 
Servem para nos desafiar e desrespeitar, 
Servem para  declarar a competição obrigatória,
Servem para abarrotar as ruas de carros, motorizar os Egos e impedir a nossa livre circulação,
Servem para nos impor modelos de comportamento frívolos e vazios,
Servem para nos transformar em número de estatística e em produtos a ser consumidos,
Servem para nos subjugar com os seus poderes forjados e nauseabundos,
Servem para nos tiranizar com visões de mundo completamente imbecis,
Servem para nos transmitir toda a sorte de microorganismos, vírus, bactérias, etc,
Servem para embebedar o povo com cerveja e cachaça e chamar isso de alegria,
Servem para meter descaradamente a mão nos nossos bolsos e chamar isso de dever de cidadão,
Servem para concentrar o capital de maneira obscena na mão de muitíssimo poucos e massacrar as alternativas,
Servem para nos tornar reféns de mitos milenares de puro delírio coletivo, 
Servem para nos chantagear com a ameaça sempre pronta de exclusão do grupo, 
Servem para nos enganar com falsas promessas de felicidade, 
Servem para nos humilhar quando destoamos das cores da moda, 
Servem para esmagar a nossa singularidade e a nossa diferença,
Servem para invadir os nossos cérebros sem autorização e jogar neles toneladas de lixo cultural,
Servem para apequenar a nossa grandeza, subestimando a nossa inteligência,
Servem para nos torturar e controlar o tempo todo com câmeras e padrões mentais espúrios,
Servem para nos converter à insanidade e queimar na fogueira toda e qualquer forma de lucidez,
Servem para fazer barulho e nos obrigar a viver em meio a um interminável zumbido diuturno,
Servem para discursar sobre o que não é essencial,
Servem para cometer as piores injustiças com equivocados juízos de valor,
Servem para propagar a mediocridade dinástica,
Servem para mentir  e nos aliciar a trilhar caminhos que só a eles interessam,
Servem para nos escravizar a certos conceitos velhos e ultrapassados,
Servem para assassinar inocentes nas esquinas da megalópole,
Servem para estimular a capacidade de imitar e inibir a necessidade de pensar,
Servem para travestir o egoísmo em altruísmo e nos golpearem com ingratidão e decepções,
Servem para discriminar, separar e classificar,
Servem para nos usar como muletas e vampirizar os nossos melhores sentimentos,
Servem para exalar os piores miasmas e posar de anjos celestiais,
Servem para dizer que somos todos ótimas pessoas no dia da nossa morte.
Que nunca mais ninguém diga que os outros não servem pra nada.
P.S.1.- Este banner não foi feito por mim. Foi feito pelos outros e o provérbio não é Lidiche, é Iídiche. Esqueci de colocar na lista que os outros também servem para promover a ignorância.
P.S.2.- " L'enfer c'est les autres"( O inferno são os outros.) Esse Sartre era mesmo um exagerado. Imagina, os outros serem associados a uma noção tão vasta e nefasta. O que o Jean-Paul não sabia é que os outros são apenas o capeta. Apenas. Só isso. Que injustiça existencialista!

Um comentário:

  1. Interessante reflexão. Espero que não digam o mesmo de mim... Será?!
    Parabéns e um grande abraço, Joaquim!

    ResponderExcluir