.

.

.

.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Agora é sem imagens

Caros amigos e amigas,
                                      Durante três dias passei o diabo para descobrir por  que razão o meu blog estava infectado. Revirei o blog pelo avesso, retirei todos os widgets, apaguei postagens, excluí gadgets e pedi uma análise ao Google. Aliás, foi o próprio Google que bloqueou o meu blog com todo o direito de fazê-lo.
Após longa reflexão descobri que algumas imagens das quais fiz upload estavam com malwares. Podem acessar sem problemas, o blog está limpíssimo.
Para os que me criticam e acham que eu exagero com este meu tom dramático, desencantado e pessimista, apresento-lhes mais um fato que sedimenta a força de toda a minha razão. Sinceramente gostaria de poder ter outra opinião sobre os meus semelhantes que nunca foram tão diferentes. Por favor, colabore com a minha "petite personne". Faça alguma coisa para que eu consiga me livrar de toda esta lamentação. Ajude-me a ter fé na espécie.
Agradeço ao Sandro pela solidariedade. Ando trôpego e exausto em busca de todas as exceções desta humanidade estúpida e infeliz para que sejam meus amigos de verdade. Desde criança, sempre me interessei apenas pelas exceções. Não gosto de aglomerações e lugares comuns.
Tive e tenho um desprezo incoercível e profundo por almas cegas. A pior desgraça de um ser humano é não conseguir enxergar a realidade que o cerca e nem sempre se trata de um ponto de vista. É por causa dos cegos de espírito que pioramos cada vez mais. É possível ver e ser feliz. A felicidade nunca esteve nem está na cegueira, na mentira e muito menos nos mitos e nos delírios. Reconcilhie-mo-nos pois, com a verdade.
E quanto aos cyber-criminosos, faltam-me as palavras certas da minha incomensurável indignação. 
Quanta agressão gratuita! Poucos se dão conta da carga de violência subliminar de que somos vítimas  para continuarmos vivos no planeta que gira. O Malware é uma surra que nos é dada todos os dias para podermos nos relacionar virtualmente. É assim que eu me sinto, chicoteado por gente que eu nem conheço mas que só cultiva a maldade. E estou até com febre. Afinal, sou muito mais sensível do que gostaria. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário