.

.

.

.

sábado, 8 de outubro de 2016

Bastidores

Bastidores é um pluralia tantum que nomeia os corredores que contornam a cena, as coxias.
A coxia é o lugar situado dentro da caixa teatral - mas fora de cena - no palco italiano, em que o elenco aguarda sua deixa para entrar em cena em uma peça teatral. Trata-se de uma armação móvel de cenário, feita de madeira e pano, montada nas partes laterais do palco, para delimitar em conjunto com as bambolinas, o espaço cênico.
Por metonímia, chamam-se "bastidores" quaisquer espaços situados fora de cena, no qual os atores aguardam sua entrada na cena.
Sempre achei muito mais instigante o que não é dado ver, mas que existe. Sou fascinado por origens e etimologias.
No esconde-esconde social, de uns tempos a esta parte, deixei de acreditar nos meus sentidos e passei a crer na minha experiência. 
Para todos os que temem as inconveniências do envelhecer, eu declaro enfáticamente que foi a melhor coisa que me aconteceu na vida. Que bom que eu sobrevivi para usufruir do meu budismo informal  deste ínicio de pôr do sol da minha existência. E quando eu me extinguir, será com certeza uma extinção feliz com um lamento. Gostaria de continuar sempre até ficar muito, muito cansado.
Voltando aos bastidores, o que eu quero dizer, em síntese, é que se tomassemos conhecimento dos bastidores, se conhecessemos verdadeiramente a vida privada das pessoas e das instituições, não pararíamos nunca de nos surpreender e poderíamos chegar ao asco e até ao vômito.
E não me venham com a pseudo intimidade das redes sociais. Intimidade editada, é falsa, ridícula, tendenciosa e profundamente cansativa. Eu não aguento mais ser espectador da vida alheia sem pedir e sem querer. Está para breve o meu abandono do Facebook.
No Google+ ainda se lê. Salve os meus amigos de cultura hispânica do Google +. 

2 comentários:

  1. Falar o quê, depois de lê-lo?!
    Grande abraço, Joaquim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que as amizades virtuais são pra outras dimensões, onde podemos ser santos ou demoníacos e encenar a persona que tirarmos do armário num dado momento de inércia mental. Parabéns à humanidade por ser a caixa de Pandora. Parabéns pela observação....

      Excluir