.

.

.

.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

FAÇA SEU PLANO DE FUGA

"Só é possível ser feliz quando se nada contra a corrente da mediocridade."
Roberto Piva 
"Tudo o que escrevo é o meu plano de fuga da civilização de vocês."
Roberto Piva 
"A felicidade é sempre individual, nunca é coletiva."
Roberto Piva

Se você ainda não descobriu que a sua existência é uma arapuca, talvez precise sofrer mais um pouquinho. Se já descobriu que foi vítima de uma grande armadilha, faça seu plano de fuga.
Carl Gustav Jung falava em individuação. Eu sou um partidário entusiasta da individuação. Como ele, acho que a melhor saída existencial é a individual. Das saídas existenciais coletivas propostas, nenhuma me agradou. Durante décadas intuitivamente fui elaborando o meu plano de fuga pessoal e hoje estou fora da arapuca, embora pareça que  também estou preso e chafurdando na mediocridade.
As saídas existenciais proposta pelos mentores da arapuca - se é que há mentores - são: casamento, procriação, família, propriedade, religião, partido político, clube de futebol, amor romântico, vida social e outras drogas. Essas bobagens pelas quais muita gente dá a vida, não me dizem nada. Não adianta muito fugir com a manada porque ninguém sabe para onde vai. Com frequência se libertam de uma arapuca para cair noutra.
A fuga nem sempre é premeditada. Ela vai se configurando com o passar do tempo. É uma delícia fugir para lugares onde quase ninguém  está.(Eu por exemplo fugi para dentro de mim mesmo. Sou o único fugitivo nestas bandas. Este é o melhor lugar para uma fuga duradoura.) Fugir da manada para integrar outra manada, não é nada agradável.
A sociedade sabe que é uma arapuga por isso permite as fugas já citadas. Além disso, o ser humano tem um erro gravíssimo de fabricação: produz angústia. Para fugir da angústia de Kierkegaard faz-se qualquer coisa. Não há mãos a medir. 
Falta coragem para contrariar a força avassaladora da maioria insana e trilhar caminhos próprios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário