.

.

.

.

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Um festival de clichés

 

A família é a base da sociedade. 

Sem família está tudo perdido. 

Filho único é problemático.

Judeu é sovina. 

Português é burro.

Francês é chique. 

O brasileiro é um povo cordial.

Deus é onipotente, onisciente e onipresente.

As mulheres são muito sensíveis.

Os homens só pensam em sexo.

A tatuagem é uma forma de expressão.

Cerveja dá barriga.

Deus é fiel.

A virgem Maria era virgem. 

Só o amor constrói.

A democracia é um sistema maravilhoso.

O papa é infalível.

Há sempre um lado bom das coisas.

Crescei e multiplicai-vos. 

O nosso amor é para sempre.

Mulher é o sexo frágil.

Está escrito na bíblia.

A bíblia diz. 

Somos todos iguais.

Deus castiga.

Temos liberdade de expressão.

Quem espera sempre alcança.

As crianças são umas gracinhas.

Somos livres.

Bandido bom é bandido morto.

Só transo por amor. 

Sem você não sou ninguém. 

Esse cara sou eu. 

Deixa que eu resolvo.

Não tenho inimigos. 

Adoro a natureza. 

Salvem as baleias.

Seja vegano.

Venci na vida. 

Como todas. 

Toma este remedinho que passa.

As coisas vão melhorar. 

A vida é bela.

O inglês é uma língua muito fácil.

O importante é a beleza interior.

O Brasil é campeão.

Ele era fantástico, pena que já morreu. 

Cuidado com o juízo final.

Isso é olho gordo.

Eu te ligo.

Posta no face. 

É um festival de milagres. 

Formamos uma bela equipe. 

O chefe é um filho da puta. 

O síndico é ladrão.

Um beijo no coração. 

Jesus está voltando. 

Os sindicalistas são todos comunistas. 

Não vamos transar hoje. Vamos nos conhecer melhor.

Amai-vos uns aos outros.

Eu amo todos vocês. 

Você é o segundo homem a quem eu me entrego completamente. 

Existem os políticos bons.

......................................


sábado, 13 de março de 2021

Pessoas e fantoches

Caro leitor. Você tem que se esvaziar. Vomitar é uma boa maneira de se desvencilhar dessa gororoba falsa que apodrece na glia de seu cérebro. Durante décadas, lotaram o seu sistema nervoso central com ideias, conceitos e visões de mundo completamente idiotas.
Cuspa, escarre, urine, defeque ou ejacule essa quantidade infame de dejetos que a sociedade e os outros te obrigaram a engolir. Não tenha medo de pensar que a maioria está errada. Eu sei que eles intimidam, mas são estúpidos. A maior prova de que eles estão errados é o estado geral do planeta.
Permita-se ter o seu cérebro vazio por algum tempo. Isto é puro budismo informal. Gradualmente, preencha o seu ser com o que vida te disse ao pé do ouvido. Entulhe o seu âmago com as suas percepções, as suas conclusões, as suas experiências, as suas observações e o seu sofrimento docente. Reflita. O que dizem não corresponde ao que você viu e viveu. É tudo muito louco e espúrio.
Esqueça os outros. Eles já atrapalharam demais a sua vida. Deixe de ser um fantoche. Fantoches, não faltam. São quase todos fantoches. Tenha coragem de ser uma pessoa de verdade.

terça-feira, 2 de março de 2021

Corações sem alma

É assustador. Parece que todos foram mordidos pela cobra peçonhenta da modernidade líquida. Estamos todos envenenados. Se vocês não veem o que eu vejo, com certeza não têm elementos de comparação e acham que o mundo começou por volta do início terceiro milênio.
Na época atual, o bonito é ter o peito vazio, ocupado apenas por um músculo que não vai além da fisiologia.
Para mim é óbvia a arrogância que tomou conta de todo mundo. Até pessoas com mais de 50 anos entraram nesta onde maligna.
A miséria afetiva é tanta que não há nem um bom dia para oferecer a um vizinho. Aliás, acho que nem há mais vizinhos, mas oponentes próximos e gigantescos viveiros de psicopatas.
Se vocês consideram que o comportamento do pós-modernismo é natural e prosaico, vocês estão muito loucos.
Detesto ser repetitivo, mas asseguro-vos que por conseguir ver isto que vocês não vislumbram, sei da alegria descomunal que todos sentirão quando esta época der lugar a um momento histórico mais são.
Esta época também passará.

domingo, 7 de fevereiro de 2021

As vítimas de preconceito querem vingança

As vítimas de preconceito com as quais me solidarizo, já quiseram apenas igualdade. Infelizmente, agora, eles querem igualdade com vingança.
Lamento muito. Esta é a verdade para quem consegue ver e sobretudo sentir.
Vingança consiste na retaliação contra uma pessoa ou grupo em resposta a algo que foi percebido ou sentido como prejudicial. Embora muitos aspectos da vingança possam lembrar o conceito de igualar as coisas, na verdade a vingança em geral tem um objetivo mais destrutivo do que construtivo.

sábado, 2 de janeiro de 2021

As fronteiras minadas do amor-próprio

Nesta onda compulsiva de estímulo obsessivo ao amor-próprio, incorremos em uma das  maiores desgraças contemporâneas.
Como toda atividade humana, o encorajamento desenfreado à autoestima, nos levou ao que há de mais negativo na promoção do amor a si mesmo.
Em uma época em que todo mundo bate no peito para dizer que se ama demais, caímos na tragédia coletiva da arrogância geral. O que denominam de amor-próprio, hoje é arrogância, soberba, pedantismo, petulância, atrevimento, desrespeito, descaramento, desfaçatez, insolência e masturbação.
Mais uma vez, a espécie humana fracassa no seu intento de incentivar uma prática útil e auspiciosa.
Até eu, estou mais arrogante. Que lástima!

sábado, 5 de dezembro de 2020

As novas polícias secretas mundiais

Diante das ridículas KGB, CIA, PIDE, DOI-CODI, MOSSAD e outras, as polícias secretas ficaram extremamente mais poderosas e sutis.
Atualmente, Google, Facebook, Microsoft,  Instagram, Twitter que constituem praticamente um monopólio, censuram, advertem, moralizam e podem até prender quem ousa ser livre.
Sob o pretexto falacioso de promover a convivência humana, exercem toda a sua autoridade despótica e asquerosa através de políticas próprias chamadas de "Padrões da comunidade", "Termos e políticas" ou ainda "Termos e Condições de Uso."
São estados dentro do Estado legislando e apunhalando os direitos e as liberdades individuais. E pior, não pagam impostos, têm lucros obscenos e está tudo muito bem assim. Como é lindo, sofisticado e encantado o mundo  das redes sociais.

sábado, 28 de novembro de 2020

Uma fração de afeto

Andamos todos empinando ilusões como quem manobra pipas. Nesta época de corações safenados e com válvulas de porcos, corremos como loucos olímpicos atrás de todas as necessidades que nos inventaram.
Na modernidade inafetiva tomamos porres de amores contaminados e doentes. Vocês não sabem como eu odeio que chamem de amor a esses sentimentos rasteiros e confusos que escorrem dos compulsórios  coquetéis  hormonais! Detesto esse amor circulante e banal completamente xoxotizado e totalmente bráulico.
E o que precisamos é de um amor sóbrio, sensato, discreto, delicado e básico como quase tudo o que é verdadeiro e bom.

sábado, 21 de novembro de 2020

Para todxs xs idiotxs dementxs e insolentxs

Vocxs só pensam em sexx. Viciadxs e obcecadxs por esse prazerzinhx de merdx. Vocxs ousam modificar a venerável e idolatrada língua portuguesa para atender a caprichos baixos e vis. Nojentxs!
O mundo não começou na vossa maldita genitália. A vida não se esgota nos vossos torpes desejos sexuais patológicos.
Os problemxs não se resolvem colocando x  em todas as palavras. É muito mais complexo que isso. Ridículos! Ridículxs!
Vocxs deveriam envergonhar-se de propor esta aloprada revolução do X.
O futuro será implacável com birutas como vocxs. Vocxs são os bufões pretensiosos e bizarros do século XXI. 
Saibam senhorxs que esta língua é a língua de Camões. A vossa ciclópica ignorância, já ouviu falar dele? Esta é a língua de Machado de Assis e de Fernando Pessoa. Esta é a língua de Cecília Meirelles e José Saramago e nunca precisou de X para ser bela e digna de muitas homenagens. Iletradxs insanxs!
A última flor do Lácio ferida com tantos X, agoniza.
Vocxs têm a suprema sorte de terem sido paridos para vegetar em um mundo em que não se respeita nada, nem o idioma.
Vocxs deveriam ser presxs ou internadoxs em regime perpétuo e a vossa empáfia deveria lamber os pés de quem ainda não enlouqueceu.

sábado, 7 de novembro de 2020

Contemplando a roupa suja

Atualmente, com as máquinas de lavar ultra modernas da marca Facebook, Instagram, Twitter e outras, temos a impressão que estamos lavando toda a roupa suja acumulada pela humanidade ao longo de séculos.
Com efeito, toda a roupa suja continua suja diante de tantos observadores nervosos e tagarelas. Falar de roupa suja não a torna mais limpa.
Quando eu nasci essa roupa imunda já existia. É irrefutável que falar de roupa suja tem lá os seus méritos: agora o fedor é mais intenso e ninguém pode mais dizer que roupa suja é uma louca invenção dos mais lúcidos.
Continuemos pois a vigiar a roupa suja, certos de que falta sabão para tantas máquinas e tantas lavadeiras. Continuemos pois a espreitar a roupa suja, sem nunca ignorar que roupa limpa talvez seja  a maior das utopias.