.

.

.

.

sábado, 26 de outubro de 2013

OS DISFARCES DA FÊMEA

ME ENGANA QUE EU GOSTO 

Adoro a expressão "dar bandeira".([Gíria] - Deixar à mostra aquilo o que devia ocultar; deixar transparecer algo que não devia.) Não existe nada mais "Bandeiroso" que o comportamento feminino na nossa sociedade surtada.
Imagine uma mulher com as coxas à mostra, com um decote excessivo, toda pintada, com trejeitos muito sensuais, mexendo e remexendo nos cabelos longos, com a voz sensual e  afetada, falando de sentimentos elevados, estabilidade relacional e amor. Dá pra acreditar? Seja sincero(a). O discurso de amor é completamente inverossímel. Vejo-o como uma grande estratégia. Quem deveria guerrear deveriam ser as mulheres porque elas é que são grandes estrategistas.
(Por que será que o Planeta Terra tem tanto medo das mulheres? Não se justifica tanta repressão, tanta caça às bruxas. Será que elas ficaram assim por causa dos maus tratos dos homens ao longo dos milênios? Elas lá devem ter as suas razões para serem tão contraproducentes.)
Os homens ficam completamente vendidos no lance. Na comunicação humana, as palavras têm um impacto de 7%, a entonação de 38% e o corpo, a expressão do corpo, a chamada Metalinguagem 55%. Há algo de podre no reino da sexualiadade humana.
Acho que as mulheres inventaram o discurso do amor, apenas para exercer a sua seletividade. Não é exatamente amor o que eles querem. Tudo denuncia o contrário.
Espero que as mulheres amadureçam o seu trato com o sexo. E desejo "vivement" que homens e mulheres evoluam no que diz respeito ao Afeto. Afeto, eu disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário