.

.

.

.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

BAIXE A CALÇA E A CUECA

ASO - ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL

ASSESSOR MED - Saúde e Segurança do Trabalho

Esta história é absolutamente verídica e aconteceu comigo na empresa supra-citada.

Chovia na Rio Branco. Já tinha adiado demais aquele exame. Tinha que ser. Com o meu guarda-chuva chinês de cinco reais, enfrentei a chuva, o vento, os transeuntes e os esbarrões para cumprir essa burocracia idiota que não avalia porra nenhuma.
Cheguei ao meu destino. Felizmente não havia ninguém na minha frente. Os médicos viam televisão e as secretárias falavam ao telefone. Ainda contemporizei secretamente: - Mas que exame inútil! Mais inútil do que o exame médico ocupacional, só a vistoria do Detran. Enfim, o tempo precioso das nossas vidas é consumido pela estupidez dos primatas que estão no poder e inventam essas merdas.
Em meio às minhas divagações, fui encaminhado para o consultório do doutor Rafael. Consultório? Eu sou muito gentil. Aquilo parecia uma cela  de penitenciária limpa. Sentei-me no cubículo e ouvi a seguinte frase:
- Pode baixar a calça e a cueca.( Essa tendência à singularização que existe no Brasil me irrita. Não seriam calças e cuecas?)
O som dessa frase não encontrou significado no meu entendimento. Olhei para um cara com um guarda-pó branco e não consegui elaborar o que estava acontecendo. É guarda-pó que se chama aquele bagulho? Olhei de novo para a figuraça e estava escrito doutor Raphael Bezerra, com ph e tudo.
- Como é que é? - reagi
- Baixe a calça e a cueca - repetiu
- A cueca? Pra quê?
- Eu tenho que examiná-lo.
- Examinar sem cueca?
- Eu tenho que saber se você tem hérnia inguinal, umbilical ou escrotal.
- Hérnia? Mas pra quê isso? Isso nunca me foi pedido e eu já fiz dezenas destes exames.
- Faz parte do ASO (Atestatdo de saúde ocupacional)
- Mas eu não sou estivador do cais do porto. Pra quê saber se eu tenho hérnia? Eu não carrego pedra.
- Então você vai ter que fazer o exame em outro lugar.
- Tudo bem. Vou fazer em outro lugar.
Enquanto decorria este diálogo absconso, o Raphael das candongas continuava teclando.
Num dado momento disse: - Eu posso considerar que você está apto mas com a ressalva de que você não pode fazer esforço físico.
- Mas eu sou professor. Eu não arrasto armários. Eu não faço esforço físico no meu local de trabalho. O meu trabalho não afeta o meu saco escrotal.( Neste momento eu me equivoquei. O meu trabalho acaba com o meu saco escrotal.) Mas enfim.... Isto é assunto para outra postagem.
Continuou teclando, fez-me algumas perguntas vagas sobre a minha saúde, tirou o papel da impressora e disse: - Assine aqui.
Assinei e saí do cubículo com a pasta na mão e os genitais salvos daquelas mãos científicas.
O Rafael só queria saber como se encontrava o meu saco. Só isso. Não se interessou pelo meu coração, pulmão, pressão ou batimentos cardíacos. Nunca na minha vida encontrei ninguém tão interessado no meu saco. Definitivamente o Rafael é um sacófilo. Aliás, o que vocês acham do doutor Raphael?

3 comentários:

  1. Afinal, qual era o seu medo???? Ou a sua cueca estava furada?

    ResponderExcluir
  2. KKKK, adorei essa ! E olha que já fiz alguns exames rotineiros de empresas, mas esse seu foi sui generis ! Baixa a calça !!!! kkkk pior que isso só no alistamento militar aonde se juntam um monte de jovens numa sala e todo mundo de calça arriada ! kkkkk Ainda bem que escapei dessa ! uuauauuauua !
    Abraço !

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que ele te deu o tal atestado. KKKKKKkkk Bjs Eliana..

    ResponderExcluir