.

.

.

.

terça-feira, 11 de junho de 2013

A ESTROFE MAIS LINDA DA LÍNGUA PORTUGUESA

NÃO TE AFLIJAS COM A PÉTALA QUE VOA
TAMBÉM É SER DEIXAR DE SER ASSIM
EU SINTO AROMA ATÉ NOS MEUS ESPINHOS
AO LONGE O VENTO VAI FALANDO EM MIM
E POR PERDER-ME É QUE ME VÃO LEMBRANDO
E POR DESFOLHAR-ME É QUE NÃO TENHO FIM .



Não sei se todos são capazes de sentir a beleza extrema contida neste versos simples. Estes versos são um teste definitivo à sua sensibilidade. Se não vislumbrar muita beleza absoluta , é mau sinal.
Além do mais, é uma aula de existência. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário