.

.

.

.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

CARRASCOS DE BRANCO

Quando alguém procura um médico, em função da doença, a pessoa está com certeza muito fragilizada. Isto acontece sempre. Ninguém  vai ao médico com a auto-estima elevada. A doença abate, embota, emburrece, aliena, infantiliza, diminui, humilha, enfraquece .
Diante deste quadro deplorável, o carrasco de branco ainda tem a coragem de se exibir e numa tentativa de resolver os seus imensos complexos, começa a falar latim e grego. Depois escreve um negócio que ninguém entende e que ele chama de receita. Tudo com muita pompa e circunstância. Todos têm que reverenciar o seu saber indisputável. (E na maioria das vezes, esses carrascos não sabem porra nenhuma.) Infelizmente, não temos alternativas. Desgraçadamente estamos nas mãos deles. Eles querem  crescer em face de um Ser no limite da sua dignidade. É uma ignomia. Como se pode ser arrogante na presença de um arremedo se de Ser Humano. Misericórdia! Misericórdia!
E é neste contexto de pretensão quase divina, de vaidade delirante e psicopata, que se cometem as piores atrocidades: os impuníveis ERROS MÉDICOS. E muita gente morre e deixa um rastro doído de um sofrimento imorredouro. Ai de quem perde um ente querido para os Carrascos impunes! Existe todo um sistema malévolo que os protege sistemáticamente. É o cúmulo do Cinismo. Tribunais constituídos por Carrascos, julgam e absolvem Carrascos. E o tempo passa e nada muda nem a dor lancinante de quem perdeu uma pessoa amada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário