.

.

.

.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

OS SOBREVIVENTES

Como nós sobrevivemos?! Como se realizou essa proeza?! Atualmente existem receitas infalíveis de felicidade e nós conseguimos ser felizes em condições tão adversas.
Somos sobreviventes dos anos  oitenta e noventa. No nosso obscuro tempo, fumávamos pra cacete, tomávamos sol de manhã à noite sem filtro solar, não usávamos cinto de segurança, os carros não tinham proteção para a coluna cervical, estávamos em contato com milhões de bactérias, consumíamos açucar, a cocaína pós-moderna, as passagens de pedestres não tinham faixa de segurança, as pessoas contavam as suas vidas nos transportes coletivos, os passageiros pegavam as nossas bolsas quando estávamos de pé. Que tempos nefastos em que erámos felizes e não sabíamos.

Como foi possível chegarmos até aqui, esta era impoluta de receitas inquestionáveis de bem-estar? Foi um milagre evangélico.
Trabalhávamos muito menos e divertíamo-nos muito mais. Que suprema heresia! Falava-se em lazer. Podia-se ser preso por Vadiagem pelo Código de Contravenções Penais. Havia empregos para  quase todos.
Não havia Liberdade Institucional, mas nós tínhamos liberdade existencial. Erámos mais livres porque tínhamos mais poder sobre nós mesmos e mais confiança nos outros.
Parabéns aos velhos cinquentões e sexagenários que chegaram vivos a este tempo de saber absoluto sobre o que é bom e o que é deletério para a espécie.(Não se esqueçam que a Ciência sempre está a serviço do Status Quo. Vivemos uma época de Ciência-Religião. Ai de quem se levante contra as descobertas sacrossantas da Ciência!)
Em compensação, temos obesos mórbidos, hiper-deprimidos, trabalhólatras, zumbis corporativos, gente que não tem tempo para nada, nem para mijar, consumistas patológicos, uma humanidade anti-saudação, gente antipática pra cacete, gananciosos aos montes, mil transtornos psíquicos, relacionamento virtual compulsivo, progresso tecnológico inútil, psicopatas em abundância, injustiças sociais exacerbadas, gente que quer mudar o mundo com o politicamente correto, gente perdida cheia de tatuagens, gente louca adorando os neo-pentecostais, explosão demográfica, uma multidão assustadora de viciados, a sofisticação do vício, a concentração escandalosa da riqueza, uma lacuna abissal de valores, uma crise inédita de criatividade, engolidores incontroláveis de comprimidos e cápsulas, enfim......
De qualquer maneira é muito melhor que a Idade Média.

Nenhum comentário:

Postar um comentário